Sorgo é alternativa para consumo humano

O sorgo foi o quarto cereal mais produzido no Brasil na safra 2010/2011

O sorgo foi o quarto cereal mais produzido no Brasil na safra 2010/2011

O sorgo é conhecido por ser utilizado na produção de ração animal, silagem, forragem e até na fabricação de etanol. Mas, de tempos para cá, o cereal vem se despontando como uma alternativa viável para a alimentação humana devido a algumas características bastante relevantes. A primeira delas é não possuir glúten, o que o torna uma ótima opção para os celíacos, pessoas que têm intolerância à substância. Além disso, o cereal apresenta valor nutricional semelhante ao milho, tem menor custo de produção e apresenta elevada capacidade antioxidante, com potencial para utilização em produtos com apelo funcional.

Porém, mesmo com todas essas características, ainda existem diversas barreiras a serem superadas para efetivar o consumo do sorgo no Brasil. Para Valéria Aparecida Vieira Queiroz, pesquisadora da área de Segurança Alimentar, Nutrição e Saúde da Embrapa Milho e Sorgo, é preciso levar o cereal ao mercado consumidor. “É a demanda por parte dos consumidores que gera a oferta do grão, da farinha e de outros produtos para o consumo humano. Desenvolvemos alguns projetos para alcançar esse objetivo e, de acordo com nossas pesquisas, estamos no caminho certo”, informou.

Que grão é esse?

O sorgo tem origem africana e foi domesticado para o consumo humano e animal entre 3 mil e 5 mil anos atrás. Difundido para a Índia e China, é atualmente, o quinto cereal mais importante do mundo, superado apenas pelo trigo, arroz, milho e cevada.  Seu cultivo é realizado em áreas e situações ambientais muito secas e quentes, onde a produtividade de outros cereais não é viável.

Dados divulgados pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) mostram que a África e Ásia são responsáveis por mais de 95% do total do sorgo utilizado como alimento humano no mundo. O consumo desse cereal pela população africana chega a quase 75% do total dos grãos produzidos no país. Na Ásia, os principais países consumidores do sorgo são China e Índia, que respondem por quase 90% do total.

No Brasil, a cultura é uma alternativa de plantio para diversas regiões. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o sorgo foi o quarto cereal mais produzido no país na safra 2010/2011, com uma produção de mais de 2 milhões de toneladas, ficando atrás apenas do milho, do arroz e do trigo. Para Valéria, o uso do sorgo para alimentação humana no nordeste do país possui grande potencial, gerando diminuição na importação do trigo.

Segurança alimentar

Subutilizado na alimentação humana na maior parte do mundo, o sorgo é uma rica fonte de fitoquímicos, substância que desempenha um importante papel para a saúde de seres humanos. Além disso, por não conter glúten, a farinha de sorgo tem se mostrado uma ótima alternativa na substituição da farinha de trigo.

Segundo Valéria, a concentração de fibra alimentar e a quantidade e qualidade dos compostos fenólicos presentes no cereal permitem relacionar o consumo do sorgo à redução dos riscos de doenças como a obesidade, diabetes, e câncer. “O sorgo possui futuro promissor por ser mais econômico tanto em demanda de água quanto em custo de produção. As descobertas mais recentes a respeito dos diversos compostos bioativos presentes em determinadas cultivares mostram que o sorgo é fonte potencial de nutracêuticos, substância de ocorrência natural com evidente efeito benéfico à saúde.

 Saiba como incluir o sorgo em sua dieta
Cookie de sorgo com amendoim
Ingredientes1 xicara de chá de farinha de sorgo

1 xicara de chá de amido de milho

½  xicara de chá de açúcar cristal ou refinado

¼ xicara de chá de açúcar mascavo

1 colher de sopa de fermento

½ xicara de chá de amendoim torrado e moído

3 colheres de sopa de margarina

1 ovo

Modo de preparo

  • Em um recipiente, misture bem todos os ingredientes secos.
  • Acrescente a margarina e o ovo. Misture com as mãos até que os ingredientes estejam integrados e formem uma massa homogênea.
  • Faça bolinhas achatadas com as mãos.
  • Coloque-as em uma assadeira untada com margarina.
  • Leve ao forno em temperatura moderada de 15 a 20 minutos ou até que as bases dos cookies estejam douradas.